Termo de Garantia do Produto

O fabricante garante seus pneus, por um período de 5 anos da data de sua compra, conforme nota fiscal, contra defeito de fabricação, desde que devidamente constatados por um técnico de nossa empresa, por técnico credenciado da rede de revendedores autorizados ou ainda por representante técnico indicado pelo INMETRO, de acordo com os seguintes itens:

1.       GARANTIA LEGAL

Nos três primeiros meses, o pneu será trocado sem custos para o consumidor:

Executa-se deste caso, os pneus de veiculo com placa de identificação, chamada “placas de aluguel” (placas de uso comercial), como por exemplo, (mas não limitado somente a estes): caminhões, ônibus ou qualquer outro tipo de veiculo de transporte de aluguel ou uso comercial, por não serem considerado pelo Código de Proteção e Defesa do Consumidor, como destinatário final (art. 2º)

2.       GARANTIA EXTRA

Ultrapassando os três primeiros meses da data de compra e quando constatado por técnico credenciado pelo fabricante ou ainda por representante técnico indicado do INMETRO que o pneu é improprio para seu uso, por razões ou motivos sob controle do fabricante, um novo pneu do mesmo tipo e medida ou semelhante, será entregue ao titular da garantia, cobrando-se com ajustamento, apenas valor resultante do percentual de desgaste do pneu substituído (exemplo: no caso de um pneu que se apresentar com desgaste de 30% da sua banda de rodagem, será cobrado 30% do valor do pneu).

3.       PREÇO

O preço a ser aplicado no ajustamento será o do dia do pneu entregue em substituição,  acrescido dos seus respectivos tributos.

4.       PNEUS DE ÔNIBUS E CAMINHOES

Pneus da categoria caminhões e ônibus, quando constatados por técnico credenciado pelo fabricante ou ainda por técnico do INMETRO que o pneu é impróprio para seu uso, por razões ou motivo sob controle do fabricante e com desgaste de até 20%, dentro do prazo de três meses da data da compra, serão repostos gratuitamente. Posteriormente a este prazo, se cobrará o desgaste como ajustamento conforme o disposto do item 2.

O que esta garantia não cobre

 

  • Condições e qualidade das estradas, ruas ou quaisquer vias transitáveis, incluindo (Sem Limitações) furos, cortes, impactos de batidas sobre protuberâncias, pedras, objetos pontiagudos, etc., provocados por infortúnios, imperícias ou riscos assumidos na condução e manobras do veículo.
  • Uso de pneus vazios (rodar vazio) ou com calibragem baixa.
  • Uso improprio do pneu, uso inadequado em operação inadequada, incluindo também, calibragem de pressão imprópria para o fim ou finalidade a que se destina, sobrecarga do veiculo, pneu montado em roda imprópria, veículo desalinhado, conjunto pneu/roda fora de balanceamento, montagem e desmontagem irregular, rodar em falso, patinagem, derrapagens, contaminação por produtos químicos, aquecimento anormal por fogo ou outro tipo de combustão, água jogada dentro do pneu durante a montagem, alterações por uso em “rachas”, corridas ou propósitos competitivos, excesso de velocidade, uso de material de reparo impróprio, danos provocado por uso de correntes, desgastes por defeitos mecânicos na suspensão e desalinhamento de montagem no veículo.
  • Não observação das precauções de manutenção de pneus contidas nos manuais de fabricante de veículo.

 

Obrigações do proprietário e/ou condutor do veículo

  • É obrigação do proprietário e/ou do condutor utilizar os pneus dentro dos limites de carga e pressão de ar indicados pelo fabricante do seu veículo no que diz respeito as especificações de carga individualizado por modelo de pneu.
  • É também responsabilidade do proprietário e/ou do condutor manter as rodas devidamente alinhadas e manter o conjunto roda/pneu/câmera de ar (se houver) devidamente balanceado.
  • Deve-se usar cada ponta do eixo conjunto de rodas/pneu/câmeras da mesma medida.

Os 10 mandamentos de uso inteligente do pneu

1)      Calibrar os pneus semanalmente de acordo com a indicação do fabricante do veiculo.

2)      Fazer o rodízio de pneus a cada 5000 km rodados.

3)      Evitar  sobrecarga no veículo. Excesso de peso compromete a estrutura do pneu e aumenta o risco de danos ou de alterações estruturais importantes.

4)      Fazer manutenção preventiva de todo o veículo. Amortecedores, molas, freios, rolamentos, eixos e rodas atuam diretamente sobre os pneus.

5)      Utilizar medidas de pneus e rodas indicadas pelo fabricante do veículo. As partes do carro foram projetadas para interagirem de forma equilibrada. A utilização de pneus e rodas diferente altera o equilíbrio.

6)      Alinhar o sistema de direção e suspenção e balancear os pneus, conforme indicado pelo fabricante do veículo ou, pelo menos, a cada 10000km, e sempre que o veículo sofrer impactos fortes; ocorrer troca de pneus; os pneus apresentarem desgastes irregulares; substituídos os componentes da suspensão, e o veículo estiver puxando para o lado.

7)      Utilizar o pneu indicado para cada tipo de solo. Rodar na cidade com pneu destinado a uso em terra (fora de estrada) provocará perdas no consumo de combustível, na estabilidade, na durabilidade das peças do veículo, e provocará desgaste irregular nos pneus da dianteira.

8)      Observar periodicamente o indicador de desgaste da rodagem (TWI) este indicador existe em todo pneu, mostra o momento certo para se efetuar a troca reduzindo o risco de rodar com pneu careca.

9)      Não permitir o contato do pneu com derivados de petróleo ou solventes. Estes produtos atacam a borracha fazendo com que ela perca suas propriedades físico-químicas e mecânicas.

10)   Evitar direção agressiva, com freadas fortes e mudanças bruscas de direção. Nunca ignore a existência de lombadas, buracos e imperfeições no piso. Os Melhores pilotos de competição são aquele que, mesmo rápido, sabem poupar seus carros e pneus.


Sobrecarga

A sobrecarga se dá quando o peso aplicado sobre o pneu é maior que o especificado, comprometendo a quilometragem do mesmo e aumentado os riscos de estouro e alterações estruturais importantes.

 

Limite de Segurança

É importante obedecer o limite de segurança do desgaste natural do pneu em sua banda de rodagem, que não deve ter menos de 1,6 mm de profundidade nos sulcos, conforme norma do Contran.